Sep 29, 2011

O Profeta Que não Queria Profetizar. Texto: Jonas 1.1-3.



O Profeta
Que não Queria
Profetizar.

Texto: Jonas 1.1-3.




Introdução.
- Dentre todos os livros proféticos do Antigo Testamento, este é um dos mais interessantes, apesar de ter apenas quatro capítulos somente, ele é muito comovente e pedagógico. Nele encontramos a história do profeta que não queria profetizar.
Esta história é muito viva em nossos dias, pois continuamente encontramos mensageiros de Deus (os salvos em Cristo) que por alguma razão também tem se recusado a pregar o santo evangelho. Talvez as razões não sejam as mesmas, mas a omissão tem sido bem semelhante. Por esta causa temos muito a aprender com esta escritura do Senhor para nós.

Vamos examiná-la por alguns dias e vamos crescer no conhecimento de Deus através dele e especialmente, vamos deixar Deus aquecer nosso coração para que não sejamos profetas que não profetizam (pregadores que não pregam).
I – Em primeiro lugar, quem é Jonas? V1.

Jonas é um homem com identidade e com família. Ele não é fruto de uma imaginação criativa como os das histórias em quadrinhos.
1. Jonas tem comprovante de endereço. Seu pai é citado. Em 2 Reis 14.25, está registrado que ele era natural de Gate-Hefer, região da Galiléia.

2. Jonas tem família. 1.1. Jonas é Judeu. Ele não é um mal amado, para viver de forma ranzinza. Ele não tem razões emocionais para viver emburrado e desprezando quem quer que seja.

3. Jonas tem Deus. Ele é um servo de Deus.

1.1. “Veio a palavra do Senhor a Jonas”. Deus o escolhera par ser portador dos seus recados aos povos. Na verdade, houve um tempo que Jonas andava suficientemente perto de Deus para lhe ser confiada a profecia de Deus ao povo de Deus e aos Gentios.

- Não há razões para um crente viver de outra forma senão, com a beleza de Cristo estampada em seu rosto. Ele é fruto da graça, da provisão e do cuidado de Deus. Nós somos fruto da graça e da misericórdia de Deus.

- Devemos lembrar disso para vivermos como Habacuque. 3. “Porquanto, ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas, 18 todavia, eu me alegrarei no SENHOR, exultarei no Deus da minha salvação.”.
II – Em segundo lugar, Jonas tem um chamado e não quer obedecer.

- 1.1-3. “Veio a palavra de Deus a Jonas”.

- É assim que começam as histórias dos profetas. Deus lhes falando.

- Há duas coisas importantes no chamado de Jonas:
1. Jonas é o primeiro pregador aos Gentios.Os demais pregaram ao seu próprio povo. Jonas vai pregar àqueles que estão longe de Deus. 1.2. Jonas é um missionário de missões mundiais.

2. Jonas ao se levantar após o chamado, levanta-se par “fugir de diante da presença do Senhor”.

1.3. Por quê? A Razão é explicada em 4.1-2.

- Jonas não queria a conversão da cidade de Nínive.
- Jonas é o único profeta que não quer que sua pregação seja bem sucedida. Ele é o único pregador que se entristece com o seu sucesso.
- Jonas não quer que as almas dos Ninivitas sejam salvas. Qual a razão?

2. Razões:
Primeira, Nínive foi fundada por Ninrode.Gênesis 10.11.

- Ninrode foi o primeiro escravista.
- Ninrode foi o primeiro homem a tentar dominar o mundo. Igual a Hitler.
- Ninrode era pagão.

Segunda, Nínive é a tradução do Assírio Ninua, transliteração do antigo Sumério Nina. Nina é o nome da deusa Ishtar, chamada em Jeremias 7. 18 de Rainha dos céus. Era a rainha das guerras e do sexo.

Ninive era uma cidade marcada pela violência e imoralidade.- Quando os Ninivitas capturavam seus inimigos, seus métodos de torturas incluíam: decepar as mãos, vazar os olhos, estacamento, etc. Os Ninivitas chegaram a cobrar impostos de Israel, reino do norte e por fim destruiu Israel. 2 Rs 17.

- Jonas nunca tinha ido a Nínive, mas sabe da fama da cidade.

- Na cabeça de Jonas, Este povo não merecia nenhuma oportunidade. Jonas conhece Nínive e sua fama. Mas, Jonas conhece Deus e sabe que Ele é misericordioso, longânimo e grande em benignidade.

4.2. Jonas sabe que se houver conversão, haverá perdão. Deus vai dar oportunidade. Por isso, levanta-se para fugir de diante da face do Senhor. Jonas é chamado, mas seu orgulho, vaidade, valores pessoais, convicções religiosas, não o querem permitir pregar a mensagem de Deus aos Ninivitas.

- Nada pode impedir nosso amor pela obra e pelas almas. Jesus não veio para os sãos, mas para os doentes. Estes precisam de médico.

III – Em terceiro lugar, Jonas se escusa de sua responsabilidade. V3.

- Enquanto Isaías se oferece para ir, Jonas quer fugir de sua missão.

- Ele não quer ir.
- Ele escolhe Társis como seu esconderijo.

Porquê?
1. Tárcis ficava no fim do mundo. Isaías 66. 19.

2. Isaías 66.19 diz que Társis é o lugar onde a Palavra de Deus não está. Então, o homem que deve pregar a Palavra de Deus, quer se distanciar dela. Mas, Deus vai frustrá-lo. Jonas não vai para Társis. Vai para Nínive. Goste ou não, Jonas vai para Nínive. Deus quer assim. E a soberania de Deus é muito bem acentuada no Livro. Então Jonas começa a se movimentar. Seu movimento é descendente. Jonas desce para Jope.

- Jonas desce para dentro do Navio.
- Jonas desce para o porão do Navio.
- Jonas desce para o fundo dos mares. O caminho de Jonas é o caminho de todos os que voltam as costas para Deus.
- Jonas está agindo igual à Caim: “da tua presença ficarei escondido”. Gn 4.14. Caim, no entanto, lamentou ter que ficar escondido.
- Jonas quer ficar escondido. Um servo de Deus não deve retroceder.

Por quê?
1. Porque ele se torna uma pessoa perigosa de se ficar perto. Ele é como uma bomba relógio. Ele está na mira de Deus. Logo os marinheiros vão experimentar isto.

2. Porque, quem retrocede vai ser repreendido pelo mundo. Os marinheiros vão repreender Jonas. Como os escarnecedores, repreenderam Pedro.

3. Porque Deus levará esta pessoa, ao mais profundo abismo se necessário, para tratar com ela. Esta é a razão porque somos orientados a não comer com aqueles que afastando-se do caminho, pisam o sangue de Cristo.

- Jonas, não quer cumprir sua missão: Ir e pregar a mensagem que Deus lhe havia dado. Jonas no capítulo 2, cita várias passagens do livro de Salmos. Parece que conhecia bem alguns deles. Mas se conhecia, ignorou o Salmo 139. 7, 8: “Para onde me irei do teu Espírito, ou para onde fugirei da tua presença? Se subir ao céu, tu aí estás; se fizer no Seol a minha cama, eis que tu ali estás também”.

- Jonas conhece a Palavra de Deus, mas ele não quer aplicá-la a sua vida. Aprendemos aqui que é possível uma pessoa saber verdades bíblicas e, no entanto, viver em desarmonia com elas.

- Conhecer não significa, necessariamente, praticar. Uma pessoa pode ter muitas informações sobre Deus e assim mesmo não viver em conformidade com essas informações.

Conclusão.
- Jonas, é o profeta que não queria profetizar. Quem é Ele?
* Ele é um homem como nós. Tem família. Tem comprovante de endereço.
* Ele é um servo de Deus. Tem um chamado, uma missão a cumprir.
* Ele é um profeta que se escusa de sua responsabilidade. Não quer pregar.


- Há muitas coisas em comum entre Jonas e nós, não é? Também temos uma família, a família de Deus. Também somos chamados e comissionados a pregar.
Também temos uma responsabilidade. Não devemos fugir dela. Terminamos esta primeira mensagem olhando para Jonas. E lá vai ele para a sua viagem. Seus planos foram muito bem organizados.

- Planejamento é garantia de meio sucesso. No entanto, vai meter-se numa terrível enrascada, a típica enrascada em que se envolvem os desobedientes.

- Que Deus nos ajude a não fugirmos da nossa tarefa. Que Deus nos ajude a temermos o seu nome.Que Deus nos ajude a fazer aquilo que Deus nos confiou para fazer. Ir e pregar o evangelho. Amém.
FONTE: http://www.ibvilateixeira.com.br/site/index.php?option=com_content&view=article&id=80&Itemid=95