RADIO TAJENOJE

Mar 27, 2014

A batalha é do Senhor



A batalha é do Senhor
Texto: I Samuel 17:1-54 

Introdução

I. Um resumo da história de Davi e Golias (1 Samuel 17:1-54). 
A. O desafio de Golias (1 Samuel 17:1-11). 
1. Mais uma vez Israel e os Filisteus estavam em guerra (1 Samuel 17:1-3). 
2. Nessa ocasião, a batalha acontecia mais para o sul em terras pertencentes à tribo de Judá. 
3. O conflito chegou a um impasse quando um campeão, Golias, saiu para desafiar os exércitos de Israel (1 Samuel 17:4-11). 
a) Golias tinha mais de 2 metros e meio de altura. 
b) Sua couraça pesava quase 80 quilos. 
c) A ponta da sua lança pesava mais de 7 quilos. 
4. No início, nenhum campeão foi encontrado no acampamento de Saul. 
B. Davi ouve o desafio de Golias (1 Samuel 17:12-27). 
1. Quando Saul foi para a batalha, Davi voltou para casa de seu pai. 
2. Desde que os três filhos mais velhos de Jessé estavam no exército de Saul, Jessé enviou Davi à batalha para saber sobre o bem-estar de seus filhos, enquanto estava nesta missão Davi ouve o desafio de Golias (1 Samuel 17:23-24). 
C. Davi aceita o desafio de Golias e Saul envia Davi ao encontro de Golias no campo de batalha. 
1. Davi não teve medo de responder ao desafio, ele baseou seu julgamento sobre suas experiências passadas com o poder de Deus. 
2. Pela fé em Deus, ele tinha sido capaz de defender as ovelhas de seu pai, quando elas foram atacadas por leões ou ursos (1 Samuel 17:32-37). 
3. Esta coragem impressionou Saul e ele mandou Davi para a batalha. 
D. Davi ganha a vitória e mata Golias. 
1. Davi não usou a armadura pessoal de Saul (1 Samuel 17:38-39). 
2. Ele levou apenas a sua fiel e comprovada funda e cinco pedras lisas, esta é a arma que ele se sentia confortável (1 Samuel 17:40). 
3. "Pedras lisas como as escolhidos por Davi para sua funda no combate com Golias ainda podem ser facilmente encontradas no vale de Elá (ou do carvalho), onde a batalha ocorreu. A arqueologia tem descoberto em varias escavações um grande número de pedras de fundas. Esta arma rústica, tão simples e tão terrível quando habilmente manipulada, era muito comum, não apenas no tempo de Davi, mas durante séculos antes e depois dele. Em muitos países, as fundas ainda são usadas ​​para afugentar animais selvagens que ameaçam os rebanhos". 
4. Depois de Golias indefeso, Davi o decapitou com a espada da bainha retirada do próprio Golias (1 Samuel 17:41-51). 
a) O diálogo abusivo era comum entre os combatentes árabe - a fala de Davi apresenta um contraste impressionante. 
b) Davi estava cheio de confiança piedosa e uma vontade de atribuir a glória de Deus para o triunfo que ele antecipou. 
II. Havia três coisas que Davi queria que os filisteus, os israelitas e toda a terra soubessem: 
A. "que existe um Deus em Israel" (1 Samuel 17:46). 
B. "que o Senhor salva não com espada e lança, pois a batalha é do Senhor" (1 Samuel 17:47). 
C. Ele estava lutando pela fé e para a glória de Deus (1 Samuel 17:37, 45-47). 

I. Lições da vitória de Davi

A. Davi foi especialmente preparado para o conflito por toda a sua vida - sem preparação pessoal Deus não teria lutado suas batalhas. 
B. Davi prestou inestimável serviço à Israel (o povo de Deus) por este conflito com Golias. 
1. Ele repeliu uma invasão e impediu o sofrimento que tal invasão teria trazido. 
2. Ele também ensinou a Israel o espírito que deve cultivar e o tipo de rei que eles realmente necessitavam.
C. Davi tornou-se um padrão para o povo de Deus hoje, exibindo o espírito que devemos ter na nossa guerra espiritual "contra os principados e potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da iniquidade nas regiões celestes" (Efésios 6:12). 
D. Davi não negligenciou o uso de armas por completo e depois sentou e esperou por Deus para lutar a batalha para ele, e nós também não. 
1. Temos que combater o bom combate (1 Tm. 6:11-12). 
2. As armas da nossa milícia não são carnais (2 Coríntios. 10:3-5). 
3. Temos que humildemente corrigir a oposição (2 Tm. 2:24-26). 
E. As características deste homem antigo demonstradas são as mesmas características que o homem moderno precisa desesperadamente: 
1. Fé em Deus; não duvida. 
a) A fé levou-o a fazer tudo para a glória de Deus (1 Sam 17:45). 
b) Ele olhou para além de seus problemas e contou com a ajuda de Deus. 
c) Ele não se compara com Golias, mas ele comparou Golias com Deus! 
d) Armado com fé em Deus, ele aproximou-se do inimigo e ganhou. 
2. Humildade, não soberba vã. 
a) Ele não se preocupava com "grandes coisas" (Salmo 131:1-2). 
b) "O temor do Senhor é a instrução da sabedoria, e diante da honra vai a humildade" (Provérbios 15:33). 
c) "O orgulho vem antes da destruição, e um espírito altivo, antes da queda" (Pv 16:18). 
d) Antes de ser quebrantado, eleva-se o coração do homem; e, diante da honra, vai a humildade"(Pv 18:12). 
e) Nós temos tanta humildade? (1 Ped. 5:5-6). 
3. Zelo ao invés de apatia. 
a) Ele estava pouco preocupado com sua própria segurança e renome. 
b) Ele tinha ouvido os deuses das nações pagãs exaltado e o nome de Jeová blasfemado, ele estava desejoso que, acima de todas as coisas, Deus fosse glorificado. 
c) Quando um homem luta para o Senhor; ele pode confiar que Deus lutará por ele, porque "a batalha é do Senhor" (2 Cr. 20:1-4, 14-17). 
4. A coragem de Davi contrasta com o medo que tomou conta de Israel. 
F. O grande princípio de vida que governou Davi em sua vitória deve governar-nos: ele agiu em nome do Senhor e para a glória de Deus. 
1. Esse grande princípio de vida não foi compreendido nem apreciado por Golias até que fosse tarde demais, mas também não vai ser apreciado pelos incrédulos de hoje (2 Cor 4:4; Mat. 7:21-23). 
2. Em cada vitória que temos sobre o pecado nós crescemos fortes na fé. 

II. Como podemos saber se nossa batalha é "do Senhor"?

A. Se estivermos fazendo o que Deus autorizou (Col. 3:17; 2 Tm 4:16-17). 
B. Se a verdade da palavra de Deus está em jogo e sendo ensinada, praticada ou defendida contra o erro (Filipenses 1:17; Judas 3; At 15:1-11). 
C. Se é um conflito espiritual (Ef 6:10-12, 2 Coríntios 10:3-5; Mat 4:1-11). 
D. Se ele está sendo feito em nome do Senhor e Deus está sendo glorificado (1 Sam.17:45-46). 
E. Se estivermos lutando na fé, não apenas lutando (1 Tm 6:12; Rom 10:17). 
F. Se a armadura espiritual pode ser adequadamente utilizada (Ef 6:13-18). 
G. Se alguém sofre por causa da "justiça" (Mt 5:10-12; 1 Pe 4:12-16). 
H. Se isso pode justamente ser dito que estamos do lado do Senhor (Josué 24:15). 

Conclusão 
A. Nem todas as batalhas que lutamos, são necessariamente as batalhas do Senhor. 
B. Você pode verdadeiramente dizer que a batalha que você tem lutado é "do Senhor"? 
C. Quando nós, como Davi, reconhecemos "que há um Deus em Israel" e que "o Senhor salva não com espada e lança", e nós lutamos pela fé em Deus e para Sua glória, a batalha será sempre do Senhor. 

Pr. Aldenir Araújo

José: Vocação para transformar tragédias em bênçãos


José: Vocação para transformar tragédias em bênçãosTexto: Gênesis 37 a 50

Introdução: “O trajeto mais curto entre o nada e o sucesso muitas vezes é a tribulação”
José era filho de Jacó com sua amada Raquel, e a preferência de seu pai gerou ciúmes e ódio de seus irmãos que planejaram matá-lo; porém, salvo por Rubem, foi vendido para o Egito, onde serviu na casa de um alto oficial. 

Foi assediado, mas fugiu, sendo por ela acusado e preso. Na prisão ganhou simpatia do carcereiro, e interpretou sonhos de outros presos. Depois acabou interpretando os sonhos de Faraó, que previa uma grande fartura de alimento por 7 anos e depois 7 anos de seca e fome em todo mundo. Ao apresentar soluções para o problema, José foi eleito governador do Egito e ali usado para preservar a vida de seu povo e dos demais povos. José é visto como símbolo de uma vida abençoada e próspera. Vemos José como um vocacionado para transformar tragédias em bênçãos.

I. Trajetórias na vida de José

1. Da casa do pai à cisterna. José num dia estava no seio de sua família, cercado de cuidados e conforto, sentindo-se totalmente seguro; no dia seguinte estava jogado numa cisterna fria, escura, na expectativa da morte. 
2. Da cisterna ao mercado de escravos. Da cisterna José foi levado à escravidão. Antes era livre, agora escravo, porém, a morte na cisterna dera lugar a possibilidade de vida, ainda que como escravo. Melhor ser escravo do que defunto. 
3. Do mercado de escravos ao serviço na casa de Potifar. Antes, José era servido em sua casa, agora servia a outros; porém encontrou um patrão que o apreciava. 
4. Do escravo livre ao prisioneiro. Parecia que a vida de José havia dado uma pequena melhora, mas agora piorava tudo de novo, pois ele estava preso, acusado de traição a seu senhor por assédio sexual. 
5. De prisioneiro à governador. No entanto, na expectativa da condenação, José teve sua vida completamente mudada, assumindo o cargo de governador no Egito.

II. A bênção na vida de José apesar das dificuldades

Sua vida fora marcada pela dureza, mais do que facilidades, no entanto, uma vida marcada pelas bênçãos de Deus. 
1. Foi abençoado na casa de seus pais. Apesar do ódio e do ciúme de seus irmãos, José foi abençoado. O amor preferencial de seu pai acabou prejudicando o filho e toda a família. Gênesis 37:6-9. 
2. Foi abençoado na cisterna. José tinha diante de si uma sentença de morte, mas teve a bênção de ser livre graças a consciência de seu irmão Rubem. Gênesis 37:20-22. 
3. Foi abençoado como escravo. José foi vendido no melhor mercado de escravo do mundo e comprado por um alto oficial de Faraó. Gênesis37:28,36 e 39:1. 
4. Foi abençoado como mordomo. Apesar de sofrer o assédio da patroa, José não se corrompeu. Gênesis 39:2-6. 
5. Foi abençoado como preso. Apesar dos anos frios e escuros do cárcere, foi abençoado. Gênesis 39:21-23. 
6. Foi abençoado como homem de Deus. José podia ver o futuro, pois sua visão ia além dos problemas pelos quais passava. Gênesis 41:11,15-16. 
7. Foi abençoado como governador. Apesar dos tempos de crise, José foi abençoado na administração da maior potência econômica de sua época. Gênesis 41:40

III. Marcas de uma pessoa abençoada

1. VISÃO: José era um jovem que tinha visão do futuro e por isso era chamado de sonhador. Gênesis 39:21-23. Ele sabia que Deus tinha algo para ele e cria nisso. Mais tarde ele prova ser um homem de visão, dando ordens a respeito de seus ossos, pois sabia que um dia o povo seria liberto do Egito, acreditava nas promessas feitas a Abraão, Isaque e Jacó. Gênesis 50:25. 
2. CARÁTER: José era, antes de tudo, um homem de caráter íntegro. Uma mulher que tinha poder sobre ele, tentava-o como homem e o aprisionava como empregado, mas ele não deixou se envolver. Muitas pessoas no lugar de José usariam pretextos para justificar sua falta de caráter. “Se eu não fizesse, perderia o emprego”; “não tinha como resistir o assédio”. Mas nada disso justificaria o pecado. José tinha caráter. 
3. SIMPATIA: O carcereiro gostou de José, pois era uma pessoa abençoada por Deus e irradiava simpatia onde quer que fosse.
4. APROVEITOU A OPORTUNIDADE: “Lembra-te de mim” Gênesis 40:14. José havia feito um favor ao copeiro-chefe e não perdeu a oportunidade de pedir que se lembrasse disso. 
5. POSITIVISMO: Os tempos seriam difíceis, mas poderiam ser administrados. Deus revelou o sonho a José mas ele foi positivo, mostrando sabedoria ao propor as soluções Gênesis 41:32-36. Uma pessoa positivista e abençoada não vê a desgraça com pessimismo, mas crê que Deus mostra meios de administrá-la. 
6. CORAGEM: Aceitou o maior desafio de seus dias, prevenir a terra para enfrentar 7 anos de fome Gênesis 41:47-57. 
7. PERDÃO: José perdoou seus irmãos. Uma pessoa abençoada não pode guardar rancor, amargura e nem anseia por vingança. Gênesis 45:4,5. 
8. ESPERANÇA NA JUSTIÇA DIVINA: José não se preocupou em responder às acusações e nem ficou murmurando revoltado com Deus e com todos. Ele tinha consciência do que lhe havia acontecido e esperou na justiça Divina. Gênesis 40:15.

Conclusão: Num país como o nosso, em tempos como estes que estamos vivendo, onde muitas tribulações nos assolam, onde corremos risco de vida todos os dias, onde as dificuldades aumentam, onde as drogas invadem e a moral decai a cada dia, o único projeto capaz de dar certo é o de José. Para isso devemos lembrar de alguns de seus princípios:
ü Não assuma dificuldades familiares como irreversíveis 
ü Não aceite o ódio como fatal. 
ü Não caia em túneis sem fim. Se você cair na cisterna da depressão, da angústia, da ansiedade, da frustração, da derrota – saiba que sempre há um modo de sair. 
ü Não admita a existência de problemas perpétuos. Mesmo que você não esteja na posição que desejaria ocupar, ou fazendo aquilo que gostaria de fazer, encare o que lhe aparecer, pois sempre vai aparecer algo para fazer. 
ü Não tenha medo de crescer de repente. Peça sabedoria a Deus para lidar com o sucesso. 
ü Não desperdice oportunidades.
ü Não acredite que existam situações imutáveis. As tentações e lutas vêm na proporção da nossa força, e Deus nos dá a graça de enfrentá-las. 
ü Não se assombre diante dos grandes desafios. Só os capazes são escolhidos e aceitam desafios.
ü Não se esqueça de onde você veio. Lembre-se daqueles que colaboraram para seu sucesso com gratidão e misericórdia.

Pr.Cirino Refosco
cirinorefosco@pibja.org

O Deus das causas impossíveis!


O Deus das causas impossíveis!Texto: Êxodo 14:9-12

Introdução: Quando, as vezes, parece que tudo está perdido: 
• O povo saiu do Egito debaixo de uma Promessa: A terra de Canaã. 
• Mal acabara de sair, parecia que tudo era uma farsa, uma enganação; 
• Estavam parados, encurralados e o inimigo vinha armado até os dentes; 
• O povo ficou apavorado, angustiado, amargurado e teve muito medo; 
• Para o povo, a causa já estava perdida. 
A pergunta era: • Cadê a Promessa? 
• Cadê a vitória; a bênção que tanto nos prometeu? 
• Onde Deus está?

I. Quando, as vezes, tudo parece que está perdido: Deus libera uma palavra de vitória. v. 13-14.

• Não se preocupem, não percam a fé, 
• Aquietai-vos: Parem de falar besteiras, parem de murmurar, reclamar. 
• Vede: Abra seus olhos e vejam; 
• Mulheres tem quatro trompas: 
• Lucas 1:30-31; 35 “Disse-lhe então o anjo: Não temas, Maria; pois achaste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus.” 
• “Respondeu-lhe o anjo: Virá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso o que há de nascer será chamado santo, Filho de Deus.” 
• Deus quer que concebamos a Palavra pelo ouvido e geremos a Promessa de Deus.

II.  Quando, as vezes, tudo parece que está perdido: Deus nos manda marchar. v. 15.

• Marchar: Postura de um verdadeiro soldado; verdadeiro exército 
• Para onde? Rumo à promessa de Deus, pela fé. 
• Rumo à frutificação e multiplicação 
• Rumo à vitória e a conquista. 
• Às vezes, o problema é tão grande que ficamos como que paralisados, sem ação, 
• Deus te manda Marchar, Não é andar, mas marchar; 
• Marchar rumo à terra Prometida, rumo à vitória, rumo à bênção; 
• Marche em direção as águas, Batismo, Purificação, Libertação. 
• Os líderes são os determinadores de ritmo. 
• É nas águas que Deus vai derrotar o inimigo, Águas do Espírito, se envolva com Ele, Mergulhe nEle, seja Batizado Nele, MARCHE. (VS. 27-28) 
Mexa-se, povo de Deus! Saia da inércia!

III.  Quando, as vezes, tudo parece que está perdido: Deus escreve uma nova historia em nossa vida. Êxodo 14:30-31 - 15:1-2.

 • Depois do mar, vem sempre o novo cântico; 
• Salmo 40:2-3 “ Também me tirou duma cova de destruição, dum charco de lodo; pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos. Pôs na minha boca um cântico novo, um hino ao nosso Deus; muitos verão isso e temerão, e confiarão no Senhor.” 
• Depois do batismo no mar, tem sempre festa ao Senhor (15:20)

Conclusão: Há uma causa difícil ou impossível em sua vida? Não há o que temer. 
• Se você crer, Você não morrerá enquanto Deus não cumprir as Promessas em sua vida. 
• Eu não morrerei enquanto o Senhor não cumprir em mim, todos os sonhos que Ele mesmo sonhou pra mim. Aleluia!!!

Autor: Pr. Maucir Lehn

Quatro coisas que Deus não pode fazer!




Texto: "Jesus, fixando neles o olhar, respondeu: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível" Mateus 19:26.

Introdução: Será que o título do sermão e o texto das escrituras contradizem uns aos outros?
 
Não, pois só Deus pode limitar ou impor uma restrição sobre si.

I. Deus não pode mentir!

"na esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos eternos" Tito 1:2. Portanto, tudo o que Deus disse em Sua Palavra é verdade! 
"Porque todos pecaram e carecem da glória de Deus". Romanos 3:23. 
"O salário do pecado é a morte ..." Romanos 6:23 
"A alma que pecar, certamente morrerá" Ezequiel 18:20.

II. Deus não pode desfazer o que já foi feito!

Se Deus permitisse a si mesmo desfazer o que foi feito; certamente Ele teria desfeito a rebelião de Satanás e a queda de Adão. Mas Deus deu ao homem e aos anjos o livre arbítrio, portanto, suas ações carregam um sentido de finalidade. 
“E o Senhor Deus disse à mulher: Que é isto que fizeste?" Gênesis 3:13. 
Deus não pode desfazer seus atos pecaminosos ... ou então ele faria! 
Deus não pode desdizer suas palavras pecaminosas ... ou então ele faria! 
Deus não pode desfazer ​​seus pensamentos pecaminosos ... ou então ele faria! Porque: 
"Enquanto eu viver! Diz o Senhor Deus, não tenho prazer na morte da morte do ímpio, mas sim que o ímpio se converta do seu caminho, e viva" Ezequiel 33:11.

III. Deus não pode salvar ninguém sem a fé em Cristo!

"Aquele que nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, porque ele não crê no nome do unigênito Filho de Deus" João 3:18. 
"Jesus disse-lhe: Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim" João 14:6. 
"E não há salvação em nenhum outro, pois não há outro nome debaixo do céu dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos" Atos 4:12.

IV. Deus não pode salvar ninguém contra a sua vontade!

"Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim; mas não quereis vir a mim para terdes vida!" João 5:39-40. 
"E o Espírito e a noiva dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, receba de graça a água da vida" Apocalipse 22:17.

Dá-me os teus ombros


Dá-me os teus ombros
Texto: Números 7:7-9

Introdução: Os filhos de Coate não tinham carros para transportar a carga do tabernáculo. A família de Gérson transportaria as coisas mais leves do tabernáculo e por isso precisavam de “dois carros e quatro bois” (Números 7:7). 
A família de Merari transportaria as coisas mais pesadas do tabernáculo e a eles foi dado “quatro carros e oito bois” (Números 7:8). A razão pela qual a família de Coate levaria a carga sem carros e sem bois era porque eles transportariam a carga sagrada que estava dentro do lugar santo e do lugar santíssimo“sobre os ombros”. 
Observe que todas estas famílias tinham que fazer um trabalho, uns mais leves outros mais pesados, mas todos tinham que dividir se no trabalho de mover o tabernáculo de um lugar para o outro. Há cargas sagradas que só os ministros de Deus, homens e mulheres podem carregar, e não a podem transportar com carros e bois, mas sobre os ombros. Todos nós temos a responsabilidade de levar cargas e fazer o trabalho que Deus nos ordenou. 
Deus diz claramente a mim como pastor, a você como líder e a você como membro “Dá-me os teus ombros”. Esta é a mensagem que Deus nos tem dado para compartilhar hoje.

I. Deus está buscando crentes com ombros de oração

1. O diabo busca crentes religiosos, que sejam apáticos à oração. Muitos crentes se encontram sem tempo para orar. 
a. O diabo gosta disso. Temos que orar para que nós sejamos cristãos com ombros fortes de oração. 
2. Ore muito ou ore pouco, o importante é que entres na presença de Deus e tenhas um encontro com ele. 
3. O apóstolo Paulo no livro de Efésios capítulo 6:18 nos diz:
 “Orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito.” 
a. A segunda arma defensiva do crente é a oração. 
b. Com nossa oração vencemos o diabo e os demônios quando a empregamos para repreendê-los e resisti-los. Nela nos apoiamos para fortaleza. 
4. Sem a oração não podemos ser crentes vitoriosos. Se perdermos os ombros da oração vamos perder nossas forças espirituais.

II. Deus está buscando crentes com ombros de santidade

1. Em 1 Samuel 9:2 lemos: “Este tinha um filho, cujo nome era Saul, jovem e tão belo, que entre os filhos de Israel não havia outro homem mais belo do que ele; desde os ombros para cima, sobressaía a todo povo.” Saul era belo e sumamente alto. Os crentes manifestam e destacam sua santidade. Precisam ser altos em sua vida moral e ética. Tem que ter estatura em seu caráter santificado. Na vida privada o em público se verá que dos ombros para cima sobressai a todo povo. 
2. Deus está dizendo não percas teus “ombros de santidade”. Sem ombros de santidade diremos como Sansão: ”... ir-se ia de mim a minha força e me enfraqueceria e seria como todos os homens” (Juízes 16:17). 
3. Logo lemos que Sansão se tornou o crente caído, o homem natural, já que sem o Espírito Santo somos naturais e comuns: ”... e começou a afligi-lo, e retirou se dele a sua força” (Juízes 16:19), e quando despertou a “kryptonita” do pecado lhe tirou as forças. A Dalila que o havia tentado, o mortificava, o molestava e ria-se dele. 
4. Assim é o inimigo das almas quando um filho de Deus se deixa cortar com a tesoura do pecado. 5. Sansão porque perdeste teus “ombros de santidade”?

III. Deus está buscando ministros com ombros de integridade

1. Deus ama a integridade de caráter naqueles que lhe servem. No Salmo 33:1 diz: “Regozijai-vos no Senhor, vós justos, pois aos retos convém o louvor”. 
2. O cristão com ombros de integridade é reto, é exemplar é honrado. A integridade de Jó se resume nesta pergunta de Deus a Satanás: “Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem sincero, e reto, e temente a Deus, e desviando-se do mal.” Jó 1:8. 
3. Precisamos de crentes nestes tempos de falta de caráter com ombros de integridade, que sejam crentes de uma só palavra. 
4. Homens e mulheres de Deus que não sejam mentirosos, caluniadores, adúlteros, fornicários, homens e mulheres que dentro e fora da igreja mantém sua integridade a Deus.

IV. Deus está buscando crentes com ombros de amor

1. Deus está buscando ombros de amor. Crentes que através dele flua o amor aos perdidos, seu amor pelos fracos, seu amor pelos afligidos... Pessoas que sejam comunicadoras do amor. 
2. O sacrifício de Jesus Cristo no Calvário foi rotulado com o sangue do amor.

Conclusão: Deus está buscando ombros que possam levar as cargas da pregação; das missões, do ensino, do pastorado, a carga de servir a Igreja. Ele te diz hoje: “dá-me teus ombros”

Pr. Aldenir Araújo

LEVAI AS CARGAS UM DOS OUTROS



Texto: Gálatas 6:1-5

Introdução: Você sente que partilhar as suas cargas com os outros é um sinal de fraqueza? Muitas vezes, nós suportamos cargas que o Senhor nunca quis que nós suportássemos sozinhos.

Nesta mensagem, vamos falar sobre como compartilhar nossas lutas com outros cristãos, e como restaurar crentes que caíram em pecado.

I. O que é um fardo ou carga

A. Definição: Um fardo é um peso do coração, espírito ou alma, algo que pesa-nos para baixo emocionalmente, mentalmente e espiritualmente.
B. Duas fontes:
1. Deus
2. Circunstâncias da vida

III. O que devemos fazer para levar a carga uns dos outros?

A. Tome a iniciativa correta: se envolver.
1. Conhecer os outros nos coloca em uma posição de reconhecer a melhor forma de ajudá-los.
B. Ter o propósito certo em mente: Restauração.
1. Devemos trabalhar para restaurar a saúde emocional, espiritual, mental e física de outros.
C. Ter o motivo certo: o Amor.
1. João 13:34 nos diz: "Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros"
2. 1 Pedro 4:8 diz: "Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados".
D. Ter a atitude certa: Gentileza.
Devemos abordar os outros com compaixão. Uma pessoa gentil é aquela que é paciente, carinhosa, amorosa, gentil, perdoadora e aceitável.

Conclusão: Você está pronto e disponível? O Senhor quer que você seja o tipo de pessoa que Ele pode usar para restaurar santos que estão sofrendo. Prepare-se, colocando sua própria vida em ordem para que você possa ajudar os outros a voltar à comunhão com Deus.
 FONTE:http://www.opregadorfiel.com.br/2012/10/levai-as-cargas-uns-dos-outros.html
Pr. Aldenir Araújo