RADIO TAJENOJE

Mar 21, 2015

O Espiritismo a luz das Escrituras




O Espiritismo a luz das Escrituras
Introdução: Porque estudar o espiritismo?
Urge estudarmos sobre o espiritismo. Pois o nosso País é considerado o maior reduto espírita do mundo. E onde ocorre o sincretismo, principalmente, das religiões: africanas, indígenas e católica. Cerca de 70% dos católicos brasileiros são frequentadores de Centros Espíritas. Cada “santo” católico tem a sua entidade espírita correspondente.

As principais teses espíritas e como podemos refutá-las pela palavra de Deus.Vamos examinar as principais doutrinas espíritas e como podemos rejeitá-las através da palavra de Deus. Este estudo será muito útil para que possamos evangelizar pessoas por meio palavra de Deus, que estão sendo enganadas pela doutrina espírita. Então vejamos as principais doutrinas espíritas:



1. Deus existe, mas está longe demais, e só se manifesta por meio de intermediários, que são os espíritos-guias.
Os espíritas acreditam que Deus fala e se manifesta por intermediários que são os espíritos guias. Na verdade, estes espíritos guias são demônios enganadores. Há muitos textos bíblicos que discordam desta doutrina espírita.
Vejamos os textos bíblicos que refutam esta doutrina espírita, que afirma que Deus se manifesta por meio de espíritos guias:
Deus condena à prática da mediunidade que consulta espíritos-guias e mortos – Lv 19.31, Lv 20.6 e Is 8.19 e 20.
Levítico 19:31diz: “Não vos voltareis para os que consultam os mortos, nem para os feiticeiros; não os busqueis, para serdes contaminados por eles: eu sou Jeová vosso Deus.
Levítico 20:6 Quando alguém se virar para os necromantes e feiticeiros, para se prostituir com eles, eu me voltarei contra ele e o eliminarei do meio do seu povo.
Isaías 8:19 Quando vos disserem: Consultai os necromantes e os adivinhos, que chilreiam e murmuram, acaso, não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos?
Deus nos exorta a não ouvir espíritos enganadores – I Tm 4. 1 e 2, Gl 1.8 e II Co 11.14. Há vários motivos bíblicos para não darmos ouvidos a doutrinas de espíritos enganadores:
1 Timóteo 4:1: “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios,…”
Gálatas 1:8: “Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema.”
2 Coríntios 11:14: “ E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz.
Deus nos busca, quer comungar conosco e nos é acessível através de Jesus Cristo – Is 55. 6 e 7; Is 59. 1 e 2; Jo 1.14, 4.23, 14.6-11, 14.23 e Hb 1.1.
“Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo.” (Hebreus 1:1-2 RA)
Portanto, a Bíblia é muito em nos mostrar que Deus não se manifesta através de espíritos, e ao contrário toda revelação nos é dada pelo filho Jesus Cristo.

2. O espiritismo ensina a possibilidade de comunicação de mortos com vivos. E ainda prega o valor das preces pelos mortos e espíritos sofredores.
Refutação Bíblica:
O espiritismo tenta dar respostas para problemas embaraçosos por meio da magia e invocação de espíritos. Muitas pessoas iludidas tentam se comunicar com o avô, pai, filho e etc.
A consulta aos mortos está proibida nas Escrituras – Dt 18.10-12 e Is 8.18 e 19.
Os mortos não sabem o que acontecem na terra – Ec 9.5 e 6, Sl 88.10-12 e Is 38.18 e 19.
Eclesiastes 9:5: “Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, porque a sua memória jaz no esquecimento.”
Os mortos não podem ajudar os vivos – Lc 16.19-31
Se os mortos pudessem ajudar os vivos, Lázaro teria voltado a terra para ajudar os parentes do rico. Mas, isso não era possível.
A vida no porvir é conseqüência da nossa decisão na terra. Portanto, as rezas pelos mortos não mudam a sua situação eterna. Tudo quanto o homem precisa a saber para sua salvação está registrado nas Escrituras. É impossível minorar o sofrimento de um ser humano condenado eternamente, por meio de rezas pelos mortos. Os mortos não podem se arrepender. Aquele que se arrepende abandona o pecado e volta para Deus. Os mortos não podem fazer isto. Como poderá um espírito arrepender-se de praticar o mal, se ele não tem condição de praticá-lo?

3. Reencarnação
É a crença espírita no retorno do espírito à vida terrena, em um corpo humano, ora para purificar as más ações na vida anterior, ora para cumprir uma missão especial. Seria um meio de purgar os pecados e evoluir moralmente e espiritualmente. Sendo o número de reencarnações sem limites definidos. O espiritismo classifica os espíritos em quatro categorias: imperfeitos, bons, superiores e puros. Podendo o espírito galgar sozinho as “categorias espirituais” através das boas ações e sucessivas reencarnações. —
Refutação Bíblica: A reencarnação é contrária a Bíblia pelos seguintes motivos:
A Bíblia declara claramente que quando o homem morre só duas coisas acontecem: o corpo volta ao pó e o espírito volta a Deus (Ec 12.7).
Eclesiastes 12:7 diz: “…e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu.”
Salmos 146:4 Sai-lhes o espírito, e eles tornam ao pó; nesse mesmo dia, perecem todos os seus desígnios.
A Bíblia declara claramente, também, que ao homem está ordenado morrer uma só vez (Hb 9.27). Hebreus 9:27: “E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo,”

Os espíritas lançam mão de João 3, para afirmar que “…nascer de novo….” é reencarnar.
Os espíritas tentam dar um sentido bíblico a doutrina da reencarnação. (É bom lembrar que estes não aceitam a inspiração divina da Bíblia mas usam-a apenas ao seu bel-prazer) Lançam mão do capítulo 3 de João para dizer que Jesus ensinou sobre a reencarnação. Usam a versão do Padre Antonio Pereira de Figueiredo que no versículo 3 traduziu: “…renascer de novo”. Enquanto em nossa versão está escrito: “…nascer de novo”. Ora, o padre tradutor cometeu uma tremenda redundância. E ainda fica claro que Jesus não falou de um novo nascimento carnal, mas sim, da necessidade de um nascimento espiritual. Vejamos: Jo 3.3-8 e Jo 1.12 e 13.

Os espíritas afirmam que João Batista é a reencarnação de Elias
O espiritismo adultera a Bíblia ao seu bel-prazer e vai contra o que Jesus ensinou. E nesse “espírito adulterador” afirmam que João Batista é a reencarnação de Elias. Mas, ao examinarmos os textos bíblicos que falam sobre a relação entre Elias e João Batista precisamos interpretá-los corretamente.
É importante examinarmos os textos que falam sobre a relação entre João batista e Elias: Veja Ml 4.5 e Mt 17.10-13, Mateus 11:14 e João 1:21, Lucas 1:17
Ao compararmos Lucas 1:17, com estes textos concluímos que João Batista Não era a reencarnação de Elias mas ele foi enviado por Deus no Espírito e no poder de Elias.
Vejamos o que diz Lucas 1:17: “E irá adiante do Senhor no espírito e poder de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Senhor um povo preparado.”
Mas, ao contrário, vejamos porque João Batista não era a reencarnação de Elias:
Elias não poderia ter reencarnado porque não morreu, mas foi arrebatado (II Rs 2.11).
Se João Batista fosse a reencarnação de Elias, aquele que teria aparecido no monte da transfiguração, deveria ser João Batista e não Elias (Mt 17.1-3). Pois de acordo com a doutrina espírita: a última pessoa reencarnada é que deve aparecer.
A Bíblia fala que João Batista teve um ministério parecido com o de Elias (Lc 1.17). Este versículo será completamente esclarecido se comparado com a história de Elias e Eliseu (II Rs 2.9-15).
Os judeus não criam em reencarnação, e sim na ressurreição dos mortos (Lc 9.7-8 e Mc 6.14-16).
João Batista disse claramente que não era Elias (Jo 1.21). João Batista veio para exercer um ministério com semelhanças e características ao ministério de Elias.
Portanto, visto que a tese da reencarnação é a principal doutrina do espiritismo, ao mostrarmos que a reencarnação não existe, todo pensamento espírita perde o sentido de ser. Assim, o pensamento espírita é enganoso. E muitos, por não conhecerem a palavra de Deus

Conclusão: O espiritismo é um engano maligno. É doutrina de demônios. Houve um caso muito famoso nos Estados Unidos das irmãs Margareth e Katie Fox de 11 e 9 anos de idade. Elas afirmaram que tiveram contato com o pseudo espírito de Charles Rosna. Após grande divulgação na mídia, mais tarde, as irmãs tentaram desfazer as crenças que haviam difundido: Katie em 10/10/1988 durante uma entrevista disse: Tudo sem exceção foi fraude.

O espiritismo é uma fraude, e muitos tem se deixado levar por esse caminho de engano, por não conhecerem a palavra do Senhor.

Pastor Josias Moura de Menezes