RADIO TAJENOJE

Nov 24, 2015

A MORDOMIA DAS FINANÇAS (Parte I)





A MORDOMIA DAS FINANÇAS (Parte I) | Esboço de Sermão – Pregações e Estudos Biblicos
Texto Áureo Mateus 6:33
Segunda-feira – Isaías 55:2- Quinta-feira – Lucas 12:16-20
Terça-feira – Mateus 6:19-24 Sexta-feira – Salmos 133:1-3
Quarta-feira – Mateus 19:25-34 Sábado – Mateus 5:13-16
Introdução
O que é ser mordomo?

1- A palavra mordomia sofreu, ao longo dos anos, uma deturpação devido
ao seu mau uso. Esta palavra geralmente tem sido usada como sinônimo de
 regalias e favores concedidos, especialmente pelo governo, a alguns funcionários
públicos, muitos em nome da “mordomia” têm pensado em receber favores.
2- A palavra mordomo, em português, vem do latim Majordomus, que tem o mesmo
 significado do grego Oikonomos (Oikós-casa e nomos governo). Major em Latim é
maior ou principal e domus é casa, A casa com tudo aquilo que ela contém e significa.
Assim Mordomo é o principal servo. O que administra a casa.
3- No texto áureo vimos a capacidade de administrar na qual recebeu os cristãos,
somos servos (mordomos) de Deus aqui no mundo. Como mordomos,
administramos a casa do Senhor.
4- Temos exemplos de mordomos na Bíblia:
a) Eliézer –Genesis 24:2 –Mordomo da casa de Abraão.
b) José – Gênesis 39:4-6 – Mordomo na casa de Potifar
c) Tanto um como o outro possuía uma administração nas casas onde estavam servindo.
5- Nós pertencemos a um reino que é de Deus e como servos do Senhor
exercemos a nossa mordomia com sabedoria (administração das finanças que recebemos)
6-Nós fomos chamados para sermos mordomos de Deus quando nós
entregamos as nossas vidas ao Senhor Jesus, temos a responsabilidade
de administrar tudo que a Deus pertence, os reinos: animal, Vegetal e
Mineral, nossas finanças, a fauna a flora, tudo que há na terra, no ar e
no mar e na terra. O homem é o mordomo – Gênesis 1.28; 2.l5 e Salmos 8.3-9.
7- Às vezes temos falhado por não levar a nossa mordomia a sério, a
natureza tem respondido com todas as suas bagagens para se defender.
(Tsunamis, vulcões, terremotos).
8- O dinheiro é o assunto mais discutido em todo o mundo.
O dinheiro tem sido um tabu de todas as épocas, dependemos dele para sobreviver.
Mas para muitos nunca foi fácil administrá-lo.
9-Não é fácil falar em coisas tão íntimas como o dinheiro, finanças e sobre como
equilibrá-la. Nós não temos uma matéria na escola que nos ensinam e muitos não
têm quem os ajudem controlar as finanças e além de tudo, não ganhamos o suficiente,
pagamos muito, com juros altos, muitos impostos etc.
10- O dinheiro nunca farta ninguém, o homem moderno está sempre dependendo de
mais dinheiro para “Viver melhor” e com isso o dinheiro tem gerado muitas guerras,
brigas e ódios entre povos, governos, empresas, famílias, entidades afins etc.
A falta de dinheiro, ou, o dinheiro curto, ou a falta de equilíbrio nas finanças tem
gerado muitos problemas.
I – O EQUILÍBRIO FINANCEIRO DEPENDE DE UMA POLÍTICA DE GANHOS E GASTOS.
1. Um dos maiores erros financeiros é a pessoa gastar para depois ganhar.
2. O correto é ganhar primeiro para depois gastar. Muitos têm este “prazer” de gastar e
não se preocupa com o fato de que vai ganhar depois.
3. As pessoas que vivem assim podem perder o estímulo de trabalhar.
4. O Brasil é o celeiro do mundo para lançar qualquer produto de consumo, pois somos
conhecidos mundialmente como grandes consumistas. Segundo as estatísticas,
o brasileiro é compulsivo para gastar, então o mercado internacional aposta em seus
produtos no nosso país.
5. Com este problema o dinheiro passa a receber nomes indevidos tais como: miséria,
mixaria, e a pessoa amaldiçoa o próprio salário.
6. Muitos por viver um desequilíbrio, começam a gastar com jogos de azar, jogo do bicho,
tele sena. Para vê se melhora, paga as dívidas e ainda controla as finanças, esperanças
essas que não acontecem com todos e muitos vivem amargurados ao ver que poderiam
estar melhores financeiramente.
7. A Bíblia diz: “Porque gastar o dinheiro naquilo que não é pão e o produto do vosso
 trabalho naquilo que não pode te satisfazer”? (Isaías 55:2)
8. Nós somos consumistas por demais e queremos gastar e gastar.
9. Muitos são compulsivos para gastar, não podem ver uma promoção, não podem ver
os longos planos de pagamentos, que descontrolam. Pessoas são seduzidas por cartões
de créditos, cheques especiais, limites altos, suaves e longas prestações, tempo longo
para os pagamentos e pagam juros exorbitantes.
10. Muitos compram coisas que não precisam e as coisas que deveriam ser compradas,
não são, pois o dinheiro não deu, não dá e não dará.
11. Muitos vivem a vida toda atrás de bens materiais e esquece-se de administrar as suas finanças.
O bom mordomo é aquele que administra o pouco ou o muito sem se esquecer do principal que é
“Buscar em primeiro lugar o reino dos céus e a sua justiça” (Mateus 6:33).
12. Alguns tidos como “cristãos” dão maus testemunhos por não saberem administrarem as suas
finanças dão “calotes” nos credores, emitem cheques sem fundos e congestionam as filas nos
quiche de proteção ao crédito.
13. Cuidado com estas ofertas: “compre agora, pague depois”. O Senhor nos fará reconhecer que
não é da Sua vontade estar afundados em dívidas. (Romanos 13.8) Não tome dinheiro emprestado
a não ser em casos de emergência. Não fique como fiador de ninguém. (Provérbios 11.15; 20.16)
II-O EQUILÍBRIO FINANCEIRO DEPENDE DE GASTAR MENOS QUE GANHA
1- Um dos maiores problemas que enfrentamos em nosso dia a dia é que não fazemos um paralelo
entre ganhar e gastar. Falta uma projeção, um programa, um orçamento, um planejamento
financeiro.
2-Esse planejamento vai ajudar a administrar a vida financeira e proporcionar uma tranquilidade
na minha família.
3- Por isso que precisamos ter um planejamento financeiro onde vamos colocar entradas e saídas
e vê qual delas é a maior, a entrada ou as saídas. A entrada precisa ser maior do que as saídas.
4- Alguns cortes no orçamento doméstico devem acontecer com a colaboração de todos e nunca
deve ser cortado coisas de primeira necessidade, como: alimentação básica, luz, água, dízimos,
ofertas etc. Quando precisa cortar as despesas muitos começam por onde não se deve mexer …
5- Geralmente quando as pessoas pensam em reduzir as despesas, elas começam a
desencorajar porque pensam que deixarão de ter determinadas coisas ou não poderão
aproveitar as certas “coisas boas da vida”. Isso não é verdade, podemos aproveitar as
coisas boas da vida dentro de um sistema financeiro condizente com que ganhamos,
e assim alcançar os nossos objetivos.
6- Quem dorme bem sabendo que no dia seguinte tem uma grande dívida para quitar e
não sabe de onde virá o dinheiro?
7- Mas, como é gostoso ter o dinheiro para quitá-la, o nosso sono passa a ser melhor e
mais profundo.
8- O planejamento financeiro requer um esforço apenas no começo, depois vira mania e
tudo entra nos conformes.
9- O modo de viver financeiramente equilibrado é receber o seu para depois gastar de
 acordo com o que você tem condições de arcar.
10- A maneira como o cônjuge e os filhos lidam com o dinheiro pode levar a uma situação
equilibrada do ponto de vista financeiro ou até agravar o problema.
11- Um problema fica mais fácil para resolver quando a família está presente e dialogando
sobre o mesmo. (Salmos 133:1-3).
12-Quem está endividado necessita acertar primeiro com o credor e depois parcelar em
mensalidades fixas e tal compromisso deve ocupar um dos primeiros lugares na lista de
 pagamentos.
13 – Torna-se importante fazer uma poupança e depositar pelo menos 3% da sua renda
total todo mês. Em três anos vai ter o seu capital em suas mãos e vai ganhar para depois gastar.
 Mas só tem condições de fazer uma poupança que gasta menos do que ganha.
III – O EQUILÍBRIO FINANCEIRO DEPENDE DAS PRIORIDADES PARA GASTAR.
1. O homem de um modo em geral precisa ter algumas prioridades financeiras, penso até que
cada família deve sentar e dialogar a respeito da vida financeira referente o mês que está por vir
e colocar as entradas do mês na ponta do lápis e as saídas, respeitando as prioridades.
2. Toda família que possui um planejamento financeiro fica mais difícil para entrar em crise e
quando entra sai rapidamente. O planejamento vai nos direcionar e nos mostrar aquilo que
temos como prioridade.
Ex. Uma pessoa ou família pode colocar como prioridade: Dízimos, moradia, supermercado,
água, luz, telefone, escola, farmácia.
3. Em segundo plano vem o vestuário.
4. Em terceiro lugar vem à viagem, o lazer, churrasco etc.
5. Há muitas famílias que trocam as prioridades.
6. O que tem sido prioridade para você no tocante as suas finanças?
7. Qual tem sido a participação da família em torno de uma crise financeira?
CONCLUSÃO
Sabemos que nunca foi fácil falar num assunto tão complexo como esse, mas, também não é
difícil um crente em Jesus Cristo procurar ajuda no sentido de fazer ajustes financeiros de
maneira que a vida possa ter novos horizontes.
Qualquer problema só é grave quando não buscamos ajuda. Existem pessoas que tem equilíbrio
 financeiro que podem nos orientar de maneira que possamos, com algumas sugestões que nos
ofereçam, desenvolver uma dinâmica melhor e mais saudável de utilizar do nosso salário, que é
 bênção de Deus, não importando a quantia.
Como estão suas finanças? Você tem sido bênção para outras pessoas? O seu nome está
preservado e escondido em Deus ou está na lista dos maus pagadores pendurados nas paredes.
Saiba que ninguém ganha muito que não saiba administrar e nem pouco demais que não
possam ser controlados. Sua vida pertence a Deus. Ele deve ser Senhor também das suas finanças. Então devemos:
1- Planejar os ganhos e os gastos.
2- Ensinar nossos filhos sobre o valor que pagamos das contas mensais.
3- Encorajá-los a entrar nos cortes das despesas, caso seja necessário.
Autor: Antônio Albino do Carmo